Follow by Email

domingo, 11 de agosto de 2013

Chamado...

Talvez a vida tenha sido mais sábia do que acreditamos... Quando criou a unidade masculina, criou um ser dotado de tamanha capacidade e força que reservou a ele o direito à proteção da sua espécie. Porém, sem dúvidas, dotou esse ser de uma insuficiência básica... a de construir a vida.A força e superioridade masculina é mediada pela ausência de mecanismos de criação. O masculino tem o poder da "dominação", mas é dependente do feminino, mediador como força de construção. A grande perspectiva de criação do homem, talvez tenha sido essa... Um ser capaz de ler as receitas de construção da vida e de empregá-la no desenvolvimento da Terra e evolução das espécies... Talvez isso não tenha agradado o homem, cujo objetivo da "dominação" extrapola em sua provação de poder. O homem nasce só, como conjunto de células que moldam o seu corpo... nesse mesmo momento, é só na energia vital, parte integrante da composição energética da mãe. Ambos compõem um só corpo físico e energético até o momento do nascimento. A grandeza do "homem" nasce dependente... Quando de repente, ingressa ao mundo físico, se torna um na dependência da família. Pai e mãe que se misturaram nos processos de criação da criatura, se confundem na promoção da segurança e desenvolvimento dessa. O "Homem" tão poderoso, grande, forte e capaz, se limita à proteção, sendo que a "Mãe" supre as necessidades alimentares, de carinho e aconchego.
O Masculino, que colaborou com milhares de células para fecundar um único óvulo, tem a sua suposta "superioridade" quebrada pela figura feminina, dependente da proteção e da força do masculino. Isso foi muito bem pensado pela Vida... O homem nasce só, como conjunto de células, cresce só, como conjunto familiar, se desenvolve só, como conjunto população, mas teima em compreender que é só, como conjunto vida. Essa, talvez, seja a grande necessidade de aprendizado, a retomada do sentido de unidade que faz do homem, como conjunto humano, pais da vida... O único ser capaz de ler as escritas da vida ainda se perde na luta de provação quanto a sua superioridade, pior, contra a feminilidade da natureza. O homem, sujeito de fecundação e proteção, teme a minoridade frente a feminilidade da "Vida", e assim como faz como conjunto humano, se impõem de forma humana, tentando, induzir, limitar, menosprezar, descaracterizar a força de construção que não possui. O homem, que podemos caracterizar como um pai para toda a criação, é dotado do poder da guarda, da proteção, da possibilidade de construir a vida; é dotado de um conjunto que inclui a força masculina e ternura feminina, é dotado de células de sabedoria à serem usadas na fecundação do óvulo da evolução... mas é limitado pela ausência do poder de criação, uma vez que esse é da "Vida". Sábia foi a "Vida", que limitou o poder da parcela masculina na Terra, sábia foi a "Vida" que se propôs à educar o homem para a sua função de proteção das criaturas e promotora da evolução... Hoje crescemos, como seres da criação, como filhos da "Vida", é chegada a hora de assumirmos a nossa função de proteção e de fecundação de uma nova sociedade... Homens e mulheres, a raça humana é a fortaleza da criação, a capacidade, a segurança de todas as demais criaturas... Surgimos para ser pais da criação, o que quebra qualquer lógica de dominação... Homens e mulheres que constroem a nova sociedade humana, na paternidade de todos os seres vivos. Hoje, com todo o conhecimento que nos foi "dado", temos condição de ser unos como protetores da Terra, basta apenas querer, assumir que nossa era de dominação já se esgotou... Já não somos mais as crianças protegidas, mas adultos capazes de pensar os filhos dessa espécie, de fecundar os óvulos da nova criatura humana... Hoje, a raça humana é o masculino que fará da Vida, mãe de novos seres, evoluídos e dotados de uma sabedoria de partilha, de comunhão, de construção...
Hoje, o homem, chegado à maturidade- Embora um pouco tardia- recebe o chamado para ser pai das demais criaturas, protetor, provedor do desenvolvimento da evolução... Sejamos pais da vida, assim a "Vida" nos pensou... iguais, dependentes e complementares...
Um bom dia aos já pais, aos que desejam ser pais, aos que assumiram o papel de pais, aos homens e mulheres que atendem o chamado da "Vida" e que assumem a paternidade dessa nova sociedade, justa, igualitária, solidária... "Humana".
Paz e Luz à todos...

Nenhum comentário:

Postar um comentário